28 de dezembro de 2014

Desafio natalício (atrasado)

Então várias pessoas fantásticas se lembraram aqui do Reino e me nomearam para o desafio TAG. Infelizmente não pude responder logo, devido ao facto de que este ano consegui ir no Natal a Portugal, logo não tinha o computador comigo. 
Mais vale tarde que nunca, certo? Por isso tendo em conta que já vou um bocadinho atrasada, deixo aqui o desafio para quem quiser.

Perguntas:

1. Árvore de Natal artificial ou natural?
Desde miúda que era árvore natural mas infelizmente isso já não pode acontecer. Se calhar é por isso que não gosto de ter árvore artificial em casa. Este ano nem me incomodei!

2. Natal com sol ou neve? 
Eu cresci em Trás-os-Montes e agora vivo no UK, o que acham? Eheheh. Aliás, os meus dias favoritos são aqueles dias de sol radiante mas com um frio de rachar.

3. Esperar pela manhã ou abrir os presentes à meia-noite?
Eu sou pior que os putos, já é uma sorte eu conseguir aguentar até dia 24! Mas na minha casa sempre tivemos a tradição de abrir à meia-noite. Alguém pegava nas prendas lia e distribuía para toda a gente ver.

4. Qual o filme que adoras ver na altura?
Ok, esta é uma pergunta séria... Sagrado é ver as sagas Lord of The Rings, Harry Potter e um ou outro Home Alone. Não falha!

5. Cânticos de Natal nos shoppings, sim ou não?
Epá, enjoa. Isto porque começam em inícios de Novembro! Ao final de 2 meses, já cansa.

6. Que roupa usas no dia de Natal? Pijama ou veste roupa bonita?
Roupa bonitinha!

7. Qual a tua comida de Natal favorita?
Rabanadas. Rabanadas. Rabanadas. Ah! E rabanadas... LoL.

8. O que queres receber no Natal?
Eu queria estar com a minha família e recebi isso! O resto foi bónus...

9. Planeia antecipadamente os presentes ou é à última da hora?
Sou uma mulher extremamente organizada: antecipadamente.

10. Veste de Pai Natal?
Ainda não sou gorda o suficiente... Ainda!

11. Qual é a tua música de preferida de Natal?
Jingle bell rock.

12. Onde vais passar o Natal este ano?
Felizmente, passei em casa dos meus pais com a famelga!

26 de dezembro de 2014

24 de dezembro de 2014

Feliz Natal, blogosfera!



No ano passado vi uma publicidade que resumiu perfeitamente o espírito Natalício.

"When it comes to the holidays, 
it doesn't matter what kind of tree you've put up, 
so long as you've got the right people gathered around it."

18 de dezembro de 2014

The Black Jewels series: Daughter of the Blood


"We are what we are. Nothing more, nothing less. There is good and evil among every kind of people.
It's the evil among us who rule now."

A saga The Black Jewels da Anne Bishop foi uma das muitas sugeridas. Contudo li apenas o primeiro livro Daughter of the Blood porque simplesmente não me cativou assim tanto... Dizem que esta saga é fantástica e realmente tem muito boas críticas, só que depois de ler o primeiro livro, sinto que sei o mesmo e que quase não percebi nadinha da história em si.
Há bruxas e bruxos, há uma hierarquia e depois fica tudo um tanto quanto confuso, LoL.

Mas qualquer dia volto a estes livros...

Já alguém leu estes livros? Que acharam?

16 de dezembro de 2014

Aqui entre nós...


...que ninguém nos ouve. 

Deparei-me com uma dúvida existencial no outro dia, como é que as senhoras/raparigas que usam burka passam no aeroporto?

Os camónes são acima do politicamente correcto, não querem ofender ninguém nem perturbar os sentimentos de ninguém. Por isso, como é que isto funciona? Porque não estou a ver os camónes a pedir-lhes para tirarem a burka a fim de segurança no aeroporto, LoL.

Ah! Mas espera lá... Para passar no aeroporto precisas de um passaporte. Ok, outra pergunta existencial, como será a foto no passaporte de uma destas mulheres?

14 de dezembro de 2014

12 de dezembro de 2014

Peditórios



Com o post da Anya lembrei-me de uma cena que, no início, achei bastante estranho aqui no UK. Se forem ver televisão vão ver os mais variados peditórios, para tudo e mais alguma coisa. 

Quando eu digo tudo e mais alguma coisa, estou mesmo a falar verdade. Cheguei a ver um peditório para um santuário de burros! Não desfazendo da importância de cuidarmos dos animais mas têm que admitir que é uma coisa estranha de se passar na televisão... Aliás, posso dizer com quase a certeza que durante os intervalos dos programas há mais peditórios do que publicidade, principalmente nesta altura do ano que parece que a televisão fica inundada de peditórios para todo o tipo de caridades, organizações, etc.

Mas eu acho que os camónes levam isto das caridades a um outro nível... Se vocês forem a uma high street vocês vão ver ao lado de lojas de marca, lojas de caridades muito fofinhas a vender artigos em segunda mão, desde a artigos para a casa a roupa, tudo doado para aquela caridade que depois de vendida reverte então para dinheiro. 
Considero este modo de peditório muito mais interessante do que simplesmente irem à nossa carteira. Acho muito fofinho o slogan de muitas destas lojas de caridade: "Pre-loved clothes". Todos nós temos coisas nos nossos guarda-fatos que já não utilizamos ou já não nos servem ou então que queremos renovar, porque doar a uma caridade? Para dar a pessoas que precisam ou para reverter em dinheiro para uma causa específica.

Muito melhor do que ser parada na rua para doar para isto ou para aquilo... que (peço imensa desculpa a quem o faz) chegam a ser imensamente chatos. Claro que é o trabalho deles serem persistentes mas, principalmente, naqueles peditórios que fazem dentro do shopping que têm uma bancada e tudo que só lhe falta setas luminosas, na minha opinião, se passamos sem parar é porque não estamos interessados ou porque temos pressa... E não como um desafio para nos perseguirem quase pelo shopping inteiro.

8 de dezembro de 2014

The Forum



Sou sincera, eu quando vi os bilhetes à venda para este concerto, pensei que iria apenas por Epica. Tudo bem, eu conheço Dragonforce mas nunca os tinha visto ao vivo enquanto que já tinha visto os Epica ao vivo e gostei muito do espectáculo deles.
Também nunca tinha estado no The Forum, que é uma venue em Kentish Town, super fácil de lá chegar, até porque não se perdia a enorme fila nem por nada. Questionei-me até se iria dar para toda a gente, LoL. Um grande espaço, com vários degraus de visualização e organizado no que toca à entrada, cloakroom e bar.

Quanto aos espectáculos, fui violentamente surpreendida pois nunca me diverti tanto num concerto como no concerto de Dragonforce! Sim, Epica foi muito fixe mas Dragonforce foi imensamente melhor, o que achava que não podia ser possível!

Adorei!


P.S. - Em tom de nota, o que achei estranho foi que, nos patamares superiores estavam seguranças do recinto com lanternas a "fazer" com que as pessoas não filmassem. Podiam tirar fotos mas não gravar... Nunca tal me tinha acontecido num concerto! Fiquei na dúvida se era política da venue ou se é uma coisa nova (o que acho um bocadinho estúpido tendo em conta que neste século quase toda a gente tem um telemóvel ou uma câmara que dê para gravar vídeo). Já alguma vez presenciaram isto?

6 de dezembro de 2014

4 de dezembro de 2014

Cinema VIP session: Hunger Games


Na estreia do tão aguardado filme The Hunger Games: Mockingjay - Part 1, eu e a B. (eu chamo-lhe de Bifa, lol) fomos a uma cinema VIP session
Gostava de vos contar simplesmente a minha melhor experiência num cinema. Não necessariamente por causa do filme mas pelo cenário todo de quase tapete vermelho, snacks grátis, bebidas grátis, um sofá só para ti... Foi tão espectacular que depois de ir ao cinema assim, não se consegue ir a uma sessão normal de cinema como o comum dos mortais, LoL.

Quanto ao filme em si, eu li os livros e já se sabe que é sempre difícil gostar de qualquer filme, contudo eu acho que esta saga até nem está mal representada e o final deixa-nos mesmo com o coração pesado. Team Peeta forever! LoL.

2 de dezembro de 2014

May you never be broken again...



The willow it weeps today
A breeze from the distance is calling your name
Unfurl your black wings and wait
Across the horizon it's coming to sweep you away
It's coming to sweep you away

Let the wind carry you home
Blackbird fly away
May you never be broken again

The fragile cannot endure
The wrecked and the jaded a place so impure
The static of this cruel world
Cause some birds to fly long before they've seen their day
Long before they've seen their day

Let the wind carry you home
Blackbird fly away
May you never be broken again
Beyond the suffering you've known
I hope you find your way
May you never be broken again

Ascend may you find no resistance
Know that you made such a difference
All you leave behind will live to the end
The cycle of suffering goes on
But memories of you stay strong
Someday I too will fly and find you again

Let the wind carry you home
Blackbird fly away
May you never be broken again
Beyond the suffering you've known
I hope you find your way
May you never be broken again
May you never be broken again 


Nota: já algum de vocês conhecia Alter Bridge?

30 de novembro de 2014

Questões existenciais (da vergonha alheia)


Acho que estamos a levar isto a um nível inaceitável... uma pessoa que tenho adicionada no facebook, colocou uma foto que me deixou assim meia perplexa. A foto consistia na sua pessoa, numa loja da Victoria's Secret
Nada de mal, nem nada de mais tirar uma foto numa loja, muito menos na Victoria's Secret em Oxford Street que as vitrinas são lindíssimas... Só que ela tirou a foto lá dentro na loja, ao pé dos manequins com as cuequinhas e as tangas, com todo um sorriso amarelo. 

Portanto, isto lançou toda uma vergonha alheia à minha pessoa. Porque pensei assim, se ela tira uma foto destas dentro da loja, será que também tira uma foto no S.Pedro na feira das cuecas ou na feira dos trapos todas as terças?

Questões da vida...

28 de novembro de 2014

And the world became a better place!


Em alguns departamentos, do hospital onde trabalho, têm isto afixado... Afinal os camónes até são inteligentes! LoL.

26 de novembro de 2014

Threading



Foi-me chamado à atenção que o threading não é assim tão popular em Portugal ou que há muitos mitos. Ora bem, o threading consiste basicamente em arranjar as sobrancelhas com apenas uma linha. Arranca na mesma os pêlos pela raiz e até deixa a pele muito mais suave (comparado a arrancar com a pinça).

Não me peçam para explicar muito mais que isto porque para mim aquilo é magia e pós de pirlimpimpim, só sei que depois de feito fica altamente e dura imenso tempo!

Como já deu para perceber, eu adoro! Desde que vim para o UK que aderi ao threading mas o pessoal queixa-se que dói muito. Por acaso, eu não concordo e olhem que eu sou bastante mariquinhas no que toca à depilação, por isso deve ser uma questão de hábito.

Já alguma vez vocês experimentaram ou têm vontade de experimentar?

24 de novembro de 2014

Eu juro que tentei...


...mas não consigo! Não consigo ver séries médicas (excluindo claro o Dr. House porque era fantástico). Eu sei que há pessoal viciado no Grey’s Anatomy, no Scrubs ou na Nurse Jackie… Não sei se é a falta de realismo ou o quê mas eu simplesmente não consigo. Até nos filmes, o Mais-que-Tudo já tá farto de me ouvir de cada vez que aparece uma cena de um bloco operatório: "Pronto, a burra já desterilizou tudo!"

Não tenho cura.

Acho que saber o que se passa nos "bastidores" não ajuda muito, LoL. 

22 de novembro de 2014

W.F.Y. series: Stay With Me


"I'm gonna yippie-ki-yay that bitch out of this bar one of these days. Mark my words, hand to God, and all that jazz." 
Este livro é o mais recente da saga Wait For You da J. Lynn (pseudónimo de uma das minhas autoras favoritas, Jennifer Armentrout). Ainda dentro do mesmo grupo de pessoas mas a autora, que eu simplesmente adoro, decidiu que estava farta de romances com pessoas bonitas, por isso decidiu enveredar por um caminho mais realista de pessoas com cicatrizes tanto físicas como emocionais e com azares de vida ou família indesejada.
Além dessa surpresa de ser algo fora dos parâmetros "normais", achei o final, apesar de meio atabalhoado, bastante enternecedor... 
Apesar de gostar imenso desta autora, achei que este livro ficou ligeiramente aquém do nível que ela normalmente escreve.


Vocês gostam mais de ler daqueles romances mais normais de pessoas lindas e maravilhosas ou romances com um toque mais realista?

20 de novembro de 2014

BiBimBap (Soho)


Fui com as minhas amigas experimentar pela primeira vez um restaurante coreano e o balanço até é positivo.
Se vocês pensarem, epá a comida parece assim um bocadinho descolorada, em primeiro lugar parabéns pelos poderes de observação e realmente, está assim meia "descolorada" porque não está totalmente cozinhada. Pois o hot pot acaba de ser cozinhado na mesa...

Eu sei, eu também achei estranho mas quando se come até é muito bom!

18 de novembro de 2014

O sotaque britânico


Quem já veio ao UK ou está cá a viver, apercebe-se que o que os camónes gostam é de anúncios. 

Metem anúncios em tudo e mais alguma coisa. No comboio e no metro, ao ponto de ficarmos enjoados de ouvir "mind the gap between the train and the platform, mind the gap" (não, não tive que ir ver se é isto que dizem, eu sei isto de cor e salteado minha gente)
Isto é de tal forma extremo que eles até metem anúncios no elevador "door opening", "door closing". Tudo é pretexto para um anunciozinho... 

Eu tenho uma teoria para isto... O sotaque britânico é tão fantástico e sexy, que até os camónes gostam de ouvir o sotaque deles, até nas coisas mais banais da vida. Até me parece bem e para melhorar ainda mais era fazerem estes anúncios com a voz e sotaque do Gerard Butler. 

Hmmm... é melhor não, porque se calhar ia causar muitos acidentes ou congestionamentos, LoL.

16 de novembro de 2014

O equilíbrio delicado das calças de cabedal


Ora bem, o pessoal sabe que eu de fashionista não tenho nada, por isso desde já peço desculpa pela qualidade deste post, ok?

Já há imenso tempo que andava à procura de umas boas calças de cabedal. Digo "andava" porque encontrei recentemente o par perfeito!
O porquê de ter demorado tanto tempo? Porque eu, pessoa exigente que sou, procurava o equilíbrio delicado numas calças de cabedal, pois acho que este artigo de roupa pode enveredar para dois caminhos, para rock/punk ou para stripper.

Minhas ricas meninas, nós não queremos parecer uns maltrapilhos. Daí nunca ter aderido muito às calças do estilo rock/punk porque normalmente não assentam bem (quando digo estilo rock/punk digo aquelas calças do género anos 80, que ficavam mal e porcamente). Por outro lado, se formos demasiado para o sexy podemos tender para as calças (ou leggings) de uma stripper, dando assim a imagem errada. Já para não falar de que algumas, quando são de má qualidade, mostram toda uma celulite ou as dobrinhas que queremos manter em segredo com nosso senhor Jesus Cristo, não é?

Mas sim... Finalmente encontrei o Santo Graal e encontrei as calças de cabedal com o equilibro perfeito entre o estilo rock e muita sexyness.


Obrigada meu Deus por ouvires as minhas preces!

14 de novembro de 2014

Um cheirinho novo



Apesar de ter um gosto (muito) específico no que toca a perfumes, comprei há pouco tempo um novo: Noir Tease da Victoria's Secret... e é tão bom!

12 de novembro de 2014

O problema não és tu... sou eu!


Não, definitivamente não me estou a ver a aderir à moda das galochas. O problema não são as galochas porque eu até admito que há umas bem fofinhas. O problema na realidade sou eu, pois como qualquer boa transmontana de cada vez que olho para umas galochas penso nas vindimas e no pisar das uvas...

Portanto, fico muito feliz por vocês mas... não, LoL.

8 de novembro de 2014

Inside a geek girl's closet...


Eu acho que sou daquelas pessoas que ainda está à espera da coruja com a carta de Hogwarts! Any minute now... LoL (por acaso os 3 itens foram todos comprados na Comic Con)



Será que dá para perceber que estou mesmo ansiosa pela próxima temporada de Game of Thrones? LoL. (os leggings escamas-de-dragão foram uma prenda de aniversário e de prendas assim quero eu muitas, eheheh)


E claro não podia faltar uma das minhas séries favoritas (que só podia ser sobre geeks, LoL): The Big Bang Theory

6 de novembro de 2014

Magnus Pack series


"She raised an eyebrow. I'm a bitch. I know it and I've learned to accept that flaw in my character." 

O que não vale ter livros que nos façam rir! Li esta trilogia da Shelly Laurenston,  a conselho da S. que admitiu que os livros não eram os melhores mas que pelo menos me iam lançar em gargalhadas pegadas.
Confirmo!
Os livros são sobre uma "alcateia" de shifters (porque eles não gostam do termo lobisomem)  e um grupo de amigas. Pronto já dá para perceber o rumo da história, né? Quanto à escrita em si, às vezes , acaba por ser um pouco confusa, contudo o sentido de humor é de chorar a rir mesmo!

Se tiverem numa de ler qualquer coisa não necessariamente fantástica em termos de enredo, escrita mediana mas com um sentido de humor fantástico, estes livros são para vocês!

4 de novembro de 2014

"Let's go everybody"... and drink some vodka!

Há povo que fala no défice mundial, no descontrolo do poder económico pela Europa, nas negociações da Faixa de Gaza, nos problemas sociopolíticos do país... Tudo temas importantes e um tanto-quanto deprimentes, sem dúvida.

Mas eu quero falar no quão deprimente é aperceber-me de que esta música já saiu há mais de 15 anos!!



Pessoal que se lembra de isto sair, até de ver o videoclip no programa TOP+ na RTP1, de vibrar com isto como se não houvesse espinhas amanhã e que está, neste momento, a sentir um peso de 100 anos no pêlo... Que tal irmos ali afogar as mágoas?

2 de novembro de 2014

To-read list


Na minha lista dos livros que tenho para ler de momento, é quase tudo livros recomendados por amigos e como se a lista já não fosse suficientemente grande, eu ainda vou à procura de mais livros. acabando assim por ter uma lista interminável de livros para ler... Interminável e a ficar cada vez maior esta to-read list!

Too many books, too little time...

30 de outubro de 2014

Comic Con '14: review, part 2


Não há palavras para descrever o segundo dia de Comic Con... Já não me lembro da última vez que vi tanta gente num recinto, já para não falar de que nunca, na minha vida, vi tanto geek por metro quadrado!! Acho que de tudo o que a Comic Con oferece, o que faz com que o pessoal ir de ano para ano, é mesmo o ambiente.
A atmosfera do Comic Con é assim qualquer coisa de fantástica. Não tenho mais palavras para descrever, por incrível que pareça. Só mesmo estando lá...

Nós pedíamos para tirar fotos com pessoal com cosplays brutais (acho que dá para ver, mais ou menos, ali a Miss Captain America que estava simplesmente extraordinária e ainda cheguei a tirar foto com uma Abby do NCIS, eheheh), falar com eles sobre os fatos e gostos em comum, ou simplesmente falar com pessoas aleatórias do quão fantástico aquilo estava a ser. A princípio pensámos que seria um bocado awkward mas depressa tirámos isso da cabeça e entrámos no espírito!

No final do segundo dia de Comic Con, eu, a S. e a M., fomos assistir à final do EuroCosplay. Que é basicamente o Campeonato da Europa de Cosplay, onde Portugal estava representado por duas concorrentes! Obviamente que gritei em plenos pulmões por Portugal, apercebendo-nos que possivelmente éramos as únicas três portuguesas num recinto com centenas de pessoas a assistir à final, LoL.

Gostaria de acrescentar que o momento mais arrepiante do Comic Con todo foi mesmo na final do Cosplay, quando uma das concorrentes se vestiu de Katniss (The Hunger Games) com o vestido de noiva e faz uma actuação que é a transformação do vestido de noiva para o vestido negro de mockingjay. Quando ela levanta os braços e se nota que tem também as asas (como o fato original no filme), houve duas reacções no recinto: houve pessoal a bater palmas de tão fantástico que foi e houve pessoal (nós incluídas) que fizemos a saudação dos 3 dedos original do Hunger Games. Que quando a actuação acaba, a música termina e há o assobio original do Hunger Games também, que foi quando toda a gente no recinto se silencia e faz, incluindo a concorrente, a saudação também!
Arrepiante!! Infelizmente, esta concorrente não ganhou, nem as concorrentes portuguesas, nem os concorrentes nossos favoritos mas pronto... foi muito bom assistir à final, mesmo assim.

No último dia, aproveitámos para ver os painéis que queríamos e para passear os nossos kimonos lindos (que após várias pessoas nos pedirem para tirar foto, tanto a mim como a S. que estava com um kimono e orelhitas iguais às minhas mas apenas de cor diferente, apercebemo-nos que o pessoal pensava que representávamos um anime/manga qualquer, quando na verdade não, LoL). Aproveitámos também para pedir autógrafos ou simplesmente fotos com o pessoal famoso que estava no recinto mas, na verdade, o momento alto foi mesmo o facto de termos encontrado uma rulote que vendia Dorayakis (que é o que, eu e a S., estamos a comer na foto)!

Balanço do Comic Con? Escusado será dizer que em 2015 estou lá batidinha, LoL! Até porque este ano escolhi ir de aluna de Hogwarts da casa Gryffindor mas para o ano estou a pensar em ir de Lara Croft. Mal posso esperar!

28 de outubro de 2014

Comic Con '14: review, part 1


Ok, decidi que vou ter que fazer a review do Comic Con em pelo menos duas partes porque há muita mas mesmo muita coisa para dizer, LoL.
Em primeiro lugar, tenho a dizer que em Londres este fim-de-semana todos os caminhos iam dar a Comic Con! E se tinhas dúvidas do caminho basta seguires a manada de geeks, LoL. Mas agora falando a sério era relativamente fácil chegar lá pois havia montes de indicações e até mesmo os funcionários nas estações indicavam constantemente o caminho.

Quando lá chegámos para o primeiro dia, ainda não havia uma grande multidão (comparando ao dia a seguir), por isso apesar de o caminho que tivemos que percorrer uma grande distância para converter os bilhetes em pulseiras, foi sempre a andar e deu para ir apreciando as pessoas no Comic Con. Finalmente, quando entramos no recinto, eu e a minha amiga S. que me acompanhou, ficámos de boca aberta pois o recinto é enorme! Com isto, decidimos que no primeiro dia íamos percorrer o recinto de uma ponta à outra, aproveitando que não estava muita gente para podermos ver tudo, saber onde eram os painéis todos.

Meu Deus, eu acho que fizemos quilómetros dentro do recinto!! Além de que me apercebi o porquê de os bilhetes serem bastante baratos porque acabas por gastar dinheiro dentro do recinto a comprar todo o tipo de merchandise (que irei mostrar noutros posts) e outras coisas, como por exemplo, como nós comprámos umas orelhinhas muito fofinhas de gato com guizos e tudo, eheheheh!
De vez em quando havia uma grande barulho numa certa parte do recinto e quando lá chegámos apercebemo-nos que estava a acontecer um campeonato de League of Legends, ao vivo e havia toda uma plateia a assistir e a torcer pelas equipas!

Foi extremamente engraçado quando pensámos que vimos tudo, fomos ver um dos mapas espalhados pelo recinto e nos apercebemos que só tínhamos visto metade, LoL. Mesmo assim aproveitou-se para se tirar algumas fotos engraçadas com pessoal que tinha cosplays fantásticos!


Não percam o próximo episódio... porque nós também não!

26 de outubro de 2014

A estação favorita


Outono, é definitivamente a minha estação favorita. Botas fora do armário, mantinhas no sofá e época do chá quentinho... Adoro! Até as ruas ficam de maneira diferente.

24 de outubro de 2014

Comic Con 2014


Hoje e durante o fim-de-semana estarei por Londres na Comic Con. Pronto era isto que eu queria dizer, LoL. 
Pessoal geek pode roer-se de inveja, pessoal não-geek pode ir pesquisar e ficar com inveja na mesma! Eheheheh.

22 de outubro de 2014

Estado semi-depressivo


Eu sei que há males piores no mundo mas mulheres de cabelo comprido vão-me perceber... Já tive o cabelo de toda a maneira e feitio mas eu, neste momento, estou em estado assim semi-depressivo porque há uns tempos cortei-o. 
Quando digo cortei o cabelo foi mesmo cortar dois terços do cabelo que tinha na altura que já me batia no fundo das costas... Como eu sempre cuidei muito bem do meu e assim sendo não preciso de o cortar com tanta regularidade (quase só 2 vezes ou ano se tanto pois não espiga). Desta vez lá meti na cabeça que queria algo diferente e cortei-o quase pelos ombros.
Grande asneira. Apercebi-me que gosto bem mais de me ver de cabelo comprido... Não que o corte seja feio porque não é. Apenas já não estou habituada de me ver assim. 

Pior coisa mesmo é olhar ao espelho e não se estar confortável com o que se vê.


P.S. - Eu sei... Eu sei que o cabelo volta a crescer mas até lá estou em estado a-chorar-pelos-cantos, ok?

20 de outubro de 2014

Gabriel's Inferno series


"Some men have what I call chivalry syndrome - they want to protect their women as if they were absolutely helpless. And this might be romantic and exciting for a time, but eventually reality will set in and it will become stifling and patronizing. When one partner does all the protecting and the other does all the receiving, it's unhealthy.
Of course, some women have the feminine equivalent of chivalry syndrome - wounded duck attachment. They seek out men who are bad boys or broken and afflicted and attempt to fix them. But we'll table that discussion for another day."

Ora bem, eu nem sei muito bem como começar porque sinceramente não sei muito bem o que acho desta trilogia. O autor é anónimo, o nome Sylvain Reynard é um pen name e ninguém sabe quem é realmente o autor desta saga.
Supostamente estes livros são denominados romances eróticos, eu acho que ficava apenas pela denominação de romance mas se calhar isso é porque depois de ler Crossfire series, tudo o resto seja calminho. 
O centro dos livros é um professor conceituado e especialista em Dante Alighieri e uma estudante que tenta ser também ela especialista em Dante Alighieri. São basicamente dois bookworms que se apaixonam e foi isto que eu mais gostei nos livros, que no meio de diálogo as personagens lançassem várias referências a vários tipos de literatura, incluindo claro altas referências da Divine Comedy. À parte disso, ainda tem a parte psicológica porque ambas as personagens têm passados bastante macabros, então ao longo dos livros vai-se descobrindo mais e mais.
O que me deixa de pé atrás nestes livros é o facto de às vezes serem muito pobres relativamente em interacção das personagens e no desenrolar do enredo em si. Mas se são bookworms e querem ler um romance sobre pessoas que vivem a literatura, by all means read it.

18 de outubro de 2014

Trabalhar por turnos


Existem dois tipos de pessoas neste mundo, as que trabalham por turnos e aquelas que não trabalham por turnos. Parece bastante elitista este tipo de comentário mas para quem conhece alguém que trabalhe por turnos ou até que trabalhe mesmo, vai compreender perfeitamente o que quero dizer.

Menciono isto porque amanhã, depois de estar no meu emprego há quase 3 anos vou fazer pela primeira vez noites. No bloco operatório a equipa das noites são extremamente reduzidas, numa equipa de quase 70 durante o dia, ficamos reduzidos a 5 pessoas. Ou seja, só faz noites quem já tem alguma experiência e quem está pelo menos confortável a fazer cesarianas de emergência (que é o bloco que está em funcionamento 24/7).
Como já tinha dito anteriormente o Tuga é o gajo dos 7 ofícios, então tende a fazer de tudo um pouco, contudo comigo tem sido adiado pois tenho-me especializado em ortopedia e traumatologia, que é o que mais gosto.
Mas enfim, lá tem que ser e lá vou eu para as cesarianas...

O pior disto tudo é que como o Mais-que-Tudo também trabalha por turnos, nem sequer o vou ver em certos dias. Porque chego a casa depois dele ter saído para o trabalho e ele quando chegar posso já estar a caminho do trabalho...
Se já não fazendo noites, às vezes era complicado a gente ver-se, imagino agora, LoL. O que vale é que só se vai fazer noites, de vez em quando... Espero eu! 

16 de outubro de 2014

Harper Lewis


Outra das minhas bandas favoritas, Russian Circles é uma banda metal/rock apenas instrumental (não tem vocalista). Parece estranho mas quando se começa a ouvir a sua discografia não se consegue parar, era a banda que utilizava para quando estava a fazer trabalhos ou, então simplesmente, num momento mais relax ou como música ambiente para qualquer ocasião.

14 de outubro de 2014

Dinossauros disfarçados de jovens


Portanto… para ser muito sincera, eu nem sei por onde começar. Há uns dias um colega de trabalho português, que começou há pouco tempo no meu departamento, comentou comigo que estava muito mudado.
Pensei na minha ignorância que se referia ao facto de ter vindo para um país estrangeiro, toda aquela intensidade de deixar o nosso país em direcção ao desconhecido, muda-nos de facto. Não, não era isso que ele queria dizer. Ele referia-se ao facto de estar mais “tolerante” relativamente aos gays. Na minha completa desgraça pedi para elaborar, ao qual ele me diz que não conseguia sequer tecer uma conversa com uma pessoa homossexual, que lhe dá vontade de partir a cara da pessoa.
Não consegui dizer nada por uns momentos, fiquei embasbacada a olhar para ele, esperando que talvez ele estivesse a gozar comigo e que se começasse a rir e dissesse "eheheh, apanhei-te"!
Não foi o caso. Ele estava mesmo a falar a sério…

Ao qual então teço as seguintes perguntas: “Então mas e o nosso colega X (que é gay)?”
O tal imbecil: “Ah mas o X é muito fixe!”
Eu, ainda mais estúpida que antes: “E o Y (que além de gay é drag queen e meu amigo pessoal)?”
Outra vez o retrógrado: “Ele é uma pessoa espectacular, sim senhora. Antes até nem conseguia falar com eles e agora olha só para mim! Mudei mesmo muito.”

Esta personagem é da minha idade! Como é que pode ter uma noção violenta quanto aos homossexuais?! Como é que possível haver ainda este tipo de dinossauros disfarçados de jovens?
Mas acalmei-me, respirei fundo e puxei toda a enfermeira que há em mim ao de cimo, pensando assim: se calhar o rapaz até teve alguma experiência traumática ou algo do género.

Então perguntei se tinha acontecido algo para que ele tivesse essa resposta quanto aos homossexuais, ao qual ele me responde que não, nunca tinha sequer conhecido um gay (que evitava até) e que simplesmente essas pessoas lhe metem, passo a citar, nojo.

Há poucas coisas que me deixam sem palavras e esta foi uma delas…

12 de outubro de 2014

Forbidden Nights


Ora bem, como vos disse tivemos a nossa "Leaving Do menos normal possível" ao qual tenho a dizer que foi extremamente divertido, LoL. Houve várias actuações mas uma delas que foi a mais aplaudida foi uma dança e strip que envolvia máquinas de lavar, água e outras coisas.
Tive toda uma iluminação pois pensei o seguinte... É assim um bocadinho triste, montes de mulheres a aplaudir homens que saibam utilizar aparelhos domésticos! LoL

Homens, o que acham sexy? Toda uma almofadinha de rabo, toda uma prateleira de mamas ou toda uma autoestrada de pernas.
Mulheres? Desde que saiba mexer na máquina de lavar roupa, tá óptimo! Ahahahah.

10 de outubro de 2014

The gods wait to delight, in you...


"Your life is your life,
don’t let it be clubbed into dank submission.
Be on the watch.
There are ways out.
There is a light somewhere.
It may not be much light but,
it beats the darkness.
Be on the watch.
The gods will offer you chances,
know them,
take them.
You can’t beat death but,
you can beat death in life, sometimes.
And the more often you learn to do it,
the more light there will be.
Your life is your life,
know it while you have it.
You are marvelous.
The gods wait to delight,
in you."
Charles Bukowski

8 de outubro de 2014

Eu já sei o que vão dizer!


Eu já sei que me vão chamar de tola mas sempre tive esta panca... Não há nada a fazer... Mas o que eu queria mesmo era pintar o cabelo de branco. Pronto, já disse!

6 de outubro de 2014

Deixa-me estar sossegada e gorda!


Eu adoro aquelas pessoas que só comem saladas, vão ao ginásio para ter um corpinho danone e depois ralham comigo por comer porcarias. Mas quê, isto de ganhar calorias é por osmose? 

4 de outubro de 2014

A "leaving do" menos normal possível...


Eu ia começar este post com algo do género "peço às pessoas susceptíveis para não verem este post" mas depois lembrei-me que se vocês visitam o meu blog, já não são susceptíveis há algum tempo, LoL.

Tinha pedido no post anterior para tentarem adivinhar a despedida da S. organizada por mim e pelas minhas amigas. Portanto a leaving do, foi uma noite em Londres e bilhetes para o Forbidden Nights que é um espectáculo que se explica a si próprio quando se vê o vídeo.

Para o pessoal que acertou, parabéns vocês ou são depravados como nós ou então já viram o Magic Mike demasiadas vezes, LoL. Agora com licença que tenho que ir comprar o bilhete de comboio e se não houver comboio, vamos a pé, qual peregrinas até Meca!

2 de outubro de 2014


Este fim de semana foi de facto dedicado a esta menina. Que tão rapidamente entrou na minha vida aqui no UK, tão rapidamente entrou pelo meu coração por ali a dentro ganhou o seu lugar cativo. A nossa frase favorita "adoro pessoas totós e anormais" num ápice se tornou no nosso slogan e talvez por termos filosofias de vida tão parecidas, é a razão pela qual quando começámos a falar parecia que nos conhecíamos há anos!
Infelizmente e felizmente a S. vai deixar a cidade, onde estou a residir, para mais uma aventura por este UK fora... Claro que não vai mudar de país, apenas de cidade e por esta altura já devia ser uma profissional em despedidas mas é precisamente o contrário quando toca a pessoas que nos ficam. 

Houve toda uma discussão no meu grupo de amigas de como iríamos fazer a leaving do da S. e enquanto as meninas estavam a discutir em que bar é que íamos, a que restaurante iríamos encher as bentas, pus-me a pensar que a S, não iria com certeza alinhar numa despedida normal determinante das normas sociais, aliás ela não merece de todo uma despedida "normal".

O que acham que vai ser? Façam lá as vossas apostas!  

30 de setembro de 2014

Há coisas que eu não percebo...


Antes de qualquer coisa que diga, toda a relação tem o seu quê de complexo pois as relações são complicadas e cada um sabe da sua vida.
A verdade é que vejo que as relações estão a perder, cada vez mais, o seu verdadeiro significado e as pessoas já não vêem as outras como um companheiro ou alguém que devem amar e (no mínimo) respeitar mas como alguém descartável. 
Há muitas declarações de amor nas redes sociais, quando na realidade nem se falam, ou então se não deixar uma mensagem fofinha no facebook um do outro pelo menos uma vez por mês, é porque a coisa é para acabar e o relacionamento não existe. Já para não falar de extorquírem os namorados tudo que é de marca mas não querem gastar do bolso delas.
Ajudem-me porque eu juro que não percebo…

28 de setembro de 2014

The Lux series: final book


"She'd given me the ultimate gift when she loved me in return. That was the most important thing I'd always take from this. Love was a gift."
O último livro da saga de livros The Lux saiu no mês passado e eu claro tive que fazer reserva! Não podia deixar passar um livro de uma das minhas autoras favoritas Jennifer Armentrout... que é simplesmente um final fantástico para esta saga de aliens! 

26 de setembro de 2014

Anathema


Hoje, mesmo ainda em recuperação de uma amigdalite, simplesmente não podia faltar ao concerto, em Londres,  de uma das minhas bandas favoritas: Anathema.

22 de setembro de 2014

Há certas tradições que não deveríamos deixar morrer…

Se antes a praxe estava sobre constante atenção, agora, após a tragédia do Meco, está sob um grande microscópico! Antes que ambos os extremos parem de ler e vão directos comentar para dizer barbaridades, gostaria de dizer que estive na Universidade, fui praxada, trajei, vi praxar, praxei, ainda verifiquei praxes e, por fim, queimei as fitas. 

Por isso, já depois de ter passado pelas diferentes fases e agora olhando para tudo do lado de fora, digo, com muito pesar, que as praxes não vão durar muito mais tempo ou então vão começar a tornar-se algo semelhante à Maçonaria em Portugal, algo pertencente a um submundo não-tão-secreto-quanto-isso. Talvez algo clandestino, com certeza. 

Isso entristece-me porque eu até gostei do meu percurso académico. Pessoal que me conhece bem refere que isso se deve a eu já ter, previamente, uma ideia muito fixa da praxe e isto deve-se ao facto dos meus pais, por motivos de trabalho, me terem levado para a Universidade enquanto crescia. Eu adorava ir quando havia praxes! Via jogos de todos os tipos, interacção, muitas partidas e também respeito. 

Ou seja, quando foi a minha altura de ser caloira, eu já tinha visto mais praxe que muitos doutores ou que muita gente na academia. Então, como caloira, já sabia o que era esperado de mim e talvez por causa disso tenha levado aquilo na desportiva, aproveitando ao máximo as brincadeiras. É precisamente isso que eu considero praxe, porque toda a gente pode mandar encher ou pôr de quatro, mas é preciso alguém com criatividade para inventar jogos ou tarefas para uma dúzia (ou mais) de marmanjos completamente assustados e sozinhos, de maneira a integrá-los nesta nova fase das suas vidas.

Isso sim é saber praxar! Foram esses os valores que eu vi na Universidade enquanto fui crescendo, mas acho que esses valores se estão, lentamente, a perder. Antigamente, a Bila era mesmo o fim do mundo e muitos dos estudantes não tinham possibilidades de ir a casa todos os fins-de-semana ou, sequer, de ligar. Então havia talvez um espírito de entreajuda muito maior que há agora ou, se calhar, apenas o espírito de “estamos perdidos no meio dos Montes, mas ao menos estamos juntos”! 

Será que isto está assim porque há mais facilidades? Ou mais pessoas frustradas a praxar? Ou o pessoal está mais mimadinho? Não sei… Só sei, sinceramente, que neste momento o bom-praxador é uma espécie em vias de extinção! 
Coisas como a história da Academia, o simbolismo do traje, entre outras coisas como a simples técnica de dobrar correctamente a nossa capa do traje, são coisas que são passadas de praxador para caloiro ou mais até de padrinho/madrinha para afilhado/afilhada, mas que estão a desaparecer por completo. 

Por isso acredito que muita praxe, de momento, sirva ou para libertar frustrações ou para caçar afilhados! Já são poucos os que tentam pensar em coisas engraçadas para integrar os caloiros no novo meio onde se encontram, porque eu acredito que muita gente tenha vindo estudar para a Bila durante anos e que no final tenha ficado a conhecer só a Universidade, o centro comercial, o Pioledo (zona de bares e cafés) e talvez as poucas discotecas que existem na cidade. Não conhecem o miradouro, as inúmeras Tunas, os covilhetes, as cristas de galo, a tradição do pito e da gancha, o ilustre Baca Belha, entre outros recantos e tradições que fazem jus às palavras de Miguel Torga sobre este “Reino Maravilhoso”. 

Quero acreditar que ainda existem bons praxadores ou pelo menos pessoas que percebam a essência da praxe e que vêem na Universidade algo mais que simplesmente um sítio onde tirar um curso. Em vez de haver campanhas anti-praxe, deveria haver mais campanhas da boa praxe! Vamos acabar com a má praxe, que, infelizmente, já existia mas que se está a instalar em força nas academias. Vamos elevar o espírito académico. Vamos manter esta tradição tão linda que é trajar pois em mais lado nenhum no mundo isso existe! 

E o órgão que está a tentar preservar isso na nossa academia é o Conselho de Veteranos. Um bem-haja a esse pessoal fantástico que por “amor à camisola”, agora que a época da “caça” começou, vai percorrer a Bila de uma ponta à outra não só numa de controlar a praxe mas numa de tentar manter os valores que referi. A verdade, contudo, é que cabe a toda a gente da academia que isso aconteça! 

Há certas tradições que não deveríamos deixar morrer…

20 de setembro de 2014

Didn't know I was lost...


Feeling my way through the darkness
Guided by a beating heart
I can't tell where the journey will end
But I know where to start

They tell me I'm too young to understand
They say I'm caught up in a dream
Well life will pass me by if I don't open up my eyes
Well that's fine by me

So wake me up when it's all over
When I'm wiser and I'm older
All this time I was finding myself
And I didn't know I was lost

I tried carrying the weight of the world
But I only have two hands
Hope I get the chance to travel the world
But I don't have any plans

Wish that I could stay forever this young
Not afraid to close my eyes
Life's a game made for everyone
And love is the prize

So wake me up when it's all over
When I'm wiser and I'm older
All this time I was finding myself
And I didn't know I was lost

Didn't know I was lost
I didn't know I was lost
I didn't know I was lost
I didn't know


Nota: por acaso é das músicas "mainstream" que gosto bastante mas esta cover está qualquer coisa de especial! O que é que vocês acham?

12 de setembro de 2014

Transmontano


Andava a circular nas redes sociais uma página com várias expressões que só se ouve em Trás-os-Montes e o que eu não me ri com isto, LoL! Bem me lembro de ensinar isto aos meus colegas de fora, quando andava na universidade e agora no trabalho pois tenho colegas de todo o país.
Deixo-vos com as mais comuns e engraçadas:
Arrebunhar - é exactamente o mesmo que “arranhar”, só que com mais uma sílaba gratuita. Em vez de “O azeiteiro do teu gato arranhou-me o braço todo”, podes dizer “O azeiteiro do teu gato arrebunhou-me o braço todo”, mas com pronúncia transmontana, claro.  
Cibo - esta palavra significa exatamente o mesmo que “bocado”, podendo substituí-la em qualquer contexto. Ao lanche, numa terra transmontana, será comum oferecerem-te um “cibo de pão com manteiga”, por exemplo. 
Bardino/Gandulo - são palavras utilizadas para descrever um indivíduo vadio, meio delinquante. o Justin Bieber, por exemplo, é um bardino.

Surro - quando alguém tem algum tipo de sujidade na pele, por exemplo (os lapouços têm frequentemente sujidade que vem da comida que espalham), pode dizer-se que tem surro. “Ó garota vai-te lavar que estás cheia de surro na cara!” é uma expressão que se ouve várias vezes, quando se lida com crianças. Cultura X

Eu gostaria ainda de acrescentar:

Molifar - que é a considerada chuva molha-tolos, para os transmontanos consideramos isso molifar.
Reco - esta é a melhor e quase nenhum transmontano se lembra que isto é totalmente estrangeiro a pessoas para lá do Marão pois "reco" uma palavra tão normal no nosso quotidiano quer dizer porco. 
Chuço - na verdade, a sonoridade da palavra é "txuço" tal como chuva é a "txuba" e quer dizer guarda-chuva.

8 de setembro de 2014

Mythos Academy series



"I was wondering how long you were going to let something like that slide. It's a major  breach of etiquette you know, not striking back at your enemies in a timely fashion."

Ora bem, eu comecei a ler esta série de livros devido à minha paixão da saga The Covenant que retrata a mitologia grega nos dias de hoje. No entanto, a Mythos Academy da Jennifer Estep, leva isso a um nível mais acima englobando todas as mitologias e obviamente todos os seus descendentes. Até porque a Mythos Academy é isso mesmo, uma academia para todos os descendentes de todas as mitologias para aprenderem a proteger-se de um Deus malvado e dos seus lacaios. 

O enredo até é interessante, a interacção entre as personagens está bastante boa e até com algum sentido de humor mas... (e vocês já sabiam que iria haver um "mas") a autora perde-se muitas das vezes nas descrições desnecessárias, não no sentido de demorar uma página a descrever as estátuas de uma biblioteca mas sim descrições repetitivas. De um livros para os outros, descreve tudo como se fosse a primeira vez mesmo que no livro passado já tenha falado naquilo até à exaustão. Tudo bem colocar um ponto ou outro para o leitor se lembrar do sítio ou situação mas não tudo espelhado inúmeras vezes. Ao final de algum tempo, eu que até gosto escrita descritiva, até a mim me chateou.

Contudo, mesmo assim li os estes quatro livros com esperança que ao longo dos livros a coisa melhorasse, o que não ocorreu. Acho que esta série de livros é um desperdício pois até tinha bastante potencial para ser algo de especial. A personagem principal não é a típica personagem feminina "coitadinha" e vai descobrindo o seu poder ao longo dos livros portanto segues a evolução da personagem em si, incluindo as personagens secundárias. 
O que chateia é que além das descrições desnecessárias tem também que a história acaba por ser um bocadinho previsível, perdendo o elemento surpresa que tanto adoro em livros.

Considero a saga The Covenant muito mas mesmo muito melhor. E é um bocado difícil aconselhar estes livros sabendo que há sagas bem melhores por aí mas se nunca leram nada do género fantasia tocando na mitologia (seja ela qual for), estes livros são um bom começo.

4 de setembro de 2014

Reino Maravilhoso...


...amanhã, aqui vamos nós!

Mas antes vou ter um turno on-call, por isso isto vai correr muito bem ou vai correr muito mal! LoL O meu on-call, acaba ás 8 da matina e o táxi para o aeroporto é meia hora depois. Estão a ver o porquê da minha ansiedade? Ahahah.

2 de setembro de 2014

Perfumes


Eu definitivamente sou uma Armani girl, pois além dos meus lindos relógios, não consigo resistir aos perfumes da Armani, tanto o de inverno como o de verão. Já experimentaram?

Uma das vantagens de viajar tanto é que nos aeroportos os perfumes são mais baratos. Claro que não só os perfumes, é também o tabaco e álcool mas é também as sapatilhas de marca e afins. Por isso, Tuga que é Tuga procura a pechincha, daí tendo a comprar os meus ricos perfumes quando estou no aeroporto.

30 de agosto de 2014

Tugas, os gajos dos 7 ofícios


No departamento onde trabalho (para quem não sabe, eu trabalho no Bloco Operatório) existem várias especialidades: otorrinolaringologia, que os os camónes abreviaram para ENT; ortopedia e traumatologia; oftomologia; ginecologia; cirurgia plástica; urologia; cirurgia geral de emergência e obstetrícia (tanto electiva como de emergência).
Especialidades muitas das vezes completamente diferentes mas isso não impede que os Tugas brilhem porque Tuga que é Tuga é o gajo dos 7 ofícios e sabe fazer todas as especialidades.
Apercebi-me disto porque com a manager, que começou à pouco tempo, quis criar equipas (por exemplo, equipa ortopedia, equipa obstetrícia, etc.) e eu quase que nunca estou na minha equipa, então colocando-lhe essa questão e ela responde dizendo ser muito difícil dar um português a qualquer equipa porque sabemos fazer tudo.
Claro que isto faz muito bem ao ego mas chega a ser um bocadinho confuso quando por exemplo de manhã se está a fazer obstetrícia e depois ortopedia. É nas cesarianas à procura dos berbequins e na ortopedia à espera dos bebés...
Até traduzir a multa que a minha manager recebeu em português porque não pagou as SCUTS, eu faço... Mas isso é outra história, LoL!